bansen

Assessoria de imprensa

Follow-us on | Like us on

17-01-2008

Linde, RWE Power e BASF desenvolvem novo processo para captura de CO2 em plantas movidas a queima de carvão mineral

 
O Grupo Linde, a RWE Power e a BASF estão desenvolvendo em parceria um novo processo de captura de CO2 dos gases de combustão em plantas movidas a queima de carvão. A parceria, acertada no final de setembro de 2007, compreenderá a construção e operação de uma unidade-piloto na planta da RWE Power movida à queima de linhita em Niederaussen, Alemanha, para testar novos desenvolvimentos e solventes da BASF para captura de CO2.

“Estamos assumindo os desafios da proteção ao clima e queremos ser pró-ativos em impulsionar todas as opções disponíveis para a redução e a eliminação do CO2. Estamos convencidos de que, juntos com os nossos parceiros, em breve vamos desenvolver o processo para a maturidade comercial da captura de CO2, para que esta tecnologia possa ser empregada no futuro nas atuais e nas novas plantas movidas a queima de carvão”, afirmou Johannes Lambertz, membro da diretoria da RWE Power responsável por plantas movidas por combustível fóssil.

“A BASF faz pesquisa mundial sobre produtos destinados a conservar recursos e energia. Ao participarmos desta cooperação com a RWE Power e a Linde, estamos contribuindo com a nossa ampla capacitação em tecnologia de captura de CO2. A nossa pesquisa procura encontrar um solvente sustentável para a captura eficiente do CO2”, afirmou o Dr. Stefan Marcinowski, responsável por pesquisa e membro da diretoria da BASF.

“Esta promissora parceria de três importantes empresas pode proporcionar um grande avanço na proteção ao clima”, afirmou o Dr. Aldo Belloni, membro da diretoria executiva da Linde AG. “A Linde espera ajudar a reduzir as emissões onde for possível. As nossas atividades incluem contínuos melhoramentos na eficiência dos nossos projetos de plantas para o benefício dos nossos clientes, nos métodos de captura de CO2 e também nos sistemas de reciclagem e na produção de alternativas de combustíveis ambientalmente amigáveis”.

O objetivo da unidade-piloto é o teste de longo prazo de novos solventes, visando adquirir um entendimento da engenharia de processos e plantas para melhorar a tecnologia de captura de CO2. A nova tecnologia poderá remover mais de 90% de CO2 do gás de combustão numa planta e, consequentemente, armazenar este gás no subsolo. Completada com sucesso a fase de testes, o próximo passo será a construção, em 2010, de uma fábrica de demonstração e comercialização do novo processo. A RWE Power estabeleceu um orçamento de cerca de 80 milhões de Euros para o desenvolvimento do processo, incluindo a construção e a operação da unidade piloto e a planta de demonstração.

“Há acordo entre os especialistas”, afirmou Lambertz, “de que o carvão de pedra continuará sendo um importante pilar do fornecimento global de energia nas próximas décadas. É por isso que nós lançamos uma estratégia de longo prazo para a eliminação do CO2: estamos construindo as mais eficientes plantas movidas a queima de carvão de pedra no mundo e estamos desenvolvendo uma nova geração de plantas de energia para o futuro, com uma eficiência superior a 50%. Já estamos projetando todas as nossas modernas plantas movidas a queima de carvão de pedra de tal maneira que elas possam ser eventualmente equipadas com a tecnologia de captura de CO2 que está sendo desenvolvida atualmente com a BASF e a Linde. A meta tem que ser a de lançar não somente plantas muito modernas em 2020 mas também plantas movidas a queima de carvão de pedra virtualmente neutras em CO2, incluindo o armazenamento”.

Separadamente do método da assim chamada esfrega de CO2, a RNE Power está também desenvolvendo a primeira planta movida a carvão mineral neutra em CO2 com transporte e armazenamento, baseada no processo integrado de gasificação por cliclo-combinado (IGCC – Integrated Gasification Combined-Cycle Process). Esta planta de 450 MW está prevista para entrar em regime em 2014, embora não haja ainda decisão sobre onde será localizada. Tendo como alvo a proteção ao clima, a RWE Power também decidiu expandir energias renováveis por toda a Europa, com foco na geração de energia elétrica a partir da água, do vento e da biomassa. A RWE e a BSF envolveram-se desde o começo de 2004 no projeto CASTOR, um projeto de pesquisa que é patrocinado pela União Européia (EU) e que procura encontrar métodos de remover o CO2 de gases de combustão e de como armazená-los. O projeto é também patrocinado por diversas entidades européias: universidades, institutos de pesquisa, autoridades públicas e empresas industriais, incluindo renomados operadores de plantas de energia, empresas de óleo e gás e fabricantes de plantas.

 

Perfis

Linde no Brasil

A Linde AG, com sede na Alemanha, é líder mundial do setor de gases industriais e medicinais com cerca de 49 mil funcionários, operações em mais de 70 países da Europa, Ásia, Oceania e Américas e faturamento de mais de 12 bilhões de euros no ano fiscal de 2006. No Brasil desde 1915, a Linde (antiga marca AGA) é a segunda maior empresa do setor.

No País, a empresa opera com três divisões: Gases Industriais (responsável pelo fornecimento de grande diversidade de gases para a indústria); Hospital Care (fornecedora dos gases medicinais para hospitais); Respiratory Care (fornecedora de gases e equipamentos para suporte respiratório domiciliar). Além das operações no Brasil, a Linde atua também nos seguintes países da América do Sul: Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Venezuela, além de Aruba e Curaçao.

A Divisão Gases Industriais da Linde no Brasil possui uma estrutura especializada para atender as diferentes demandas dos processos da maioria das atividades industriais: Alimentos e Bebidas, Metalurgia, Química, Soldagem e Corte e Gases Especiais. Possui cerca de 10 mil clientes atendidos por 24 unidades comerciais estrategicamente posicionadas nos principais centros consumidores do País, além de vasta rede de distribuidores autorizados.

Suas unidades comerciais estão localizadas nas seguintes cidades: Maceió/AL, Salvador/BA, Fortaleza/CE, Vitória/ES, Goiânia/GO, Contagem/MG, Juiz de Fora/MG, Timóteo/MG, Uberaba/MG, Cuiabá/MT, Belém/PA, Jaboatão dos Guararapes/PE, Curitiba/PR, Cambé/PR, Rio de Janeiro/RJ, Macaé/RJ, Canoas/RS, Blumenau/SC, Chapecó/SC, São Paulo/SP, Bauru/SP, Jundiaí/SP, São José dos Campos/SP e Sertãozinho/SP.

RWE Power

A RWE Power é a maior produtora de eletricidade na Alemanha, responsável pela geração de energia elétrica do Grupo na Alemanha e na Europa Central e Ocidental. A RWE Power usa uma ampla variedade de recursos de energia: linhita de minas em Rhineland, e energia nuclear para a carga básica, bem como carvão de pedra duro, gás e energias renováveis, tais como água, vento e biomassa para cargas médias e de pico. A RWE Power e as suas subsidiárias empregam 17 mil pessoas, dentro e fora da Alemanha.

BASF

A BASF é a empresa líder mundial em química: The Chemical Company. O seu portfólio vai de química, plástico, produtos de desempenho, produtos para agricultura e química fina a óleo cru e gás natural. Como parceiro confiável de praticamente todas as indústrias, os produtos de alto valor e as soluções inteligentes da BASF ajudam os seus clientes a terem maior sucesso. A BASF desenvolve novas tecnologias para atender a desafios do futuro e a novas oportunidades de mercado. Combina sucesso econômico com proteção ambiental e responsabilidade social, contribuindo dessa forma para um futuro melhor. A BASF tem aproximadamente 95 mil funcionários e vendas anuais de 52.6 bilhões de Euros. As ações da BASF são negociadas nas bolsas de Frankfurt, Londres e Zurique. Mais informações sobre a BASF estão disponíveis no site www.basf.com.

 

Mais informações para a imprensa:

Bansen & Associados Comunicação - assessoria de imprensa da Linde
Clean Barros (clean@bansen.com.br)
Tel.: (11) 5539-2344
www.bansen.com.br
17/01/08

Notícias relacionadas

 

2007