Assessoria de imprensa

17-05-2007

Grupo Linde inicia com sucesso o exercício financeiro, e confirma sua previsão de crescimento em 2007.

De janeiro a março, as vendas do Grupo aumentaram 9,4%, o lucro operacional (EBITDA) cresceu 10,1%. A Divisão Gases contribuiu com os resultados, registrando aumento de 7,8% nas vendas.

 
No primeiro trimestre de 2007, o Grupo Linde alcançou expressivos aumentos em vendas e lucro operacional e confirmou as suas previsões de maior crescimento em curto e médio prazos. “Completamos com sucesso a reorganização do Grupo e, no novo contexto, começamos muito bem o exercício financeiro de 2007”, declarou o Professor Wolfgang Reitzle, CEO da Linde AG. “Estamos crescendo a uma taxa mais veloz que a do mercado e estamos bem posicionados para alcançar integralmente os nossos objetivos de curto e médio prazos”. Líder mundial no setor de gases, a Linde é a segunda maior no Brasil.

O Grupo Linde confirma as suas previsões anteriores para o ano de 2007 inteiro. Espera-se que as vendas e os ganhos do Grupo superem novamente e excedam os números do ano precedente. A Linde estabeleceu como meta de médio prazo que o lucro operacional do Grupo alcance mais de 3 bilhões de euros no exercício financeiro e 2010. As sinergias decorrentes da aquisição do BOC certamente terão um impacto positivo nesses resultados.

Para assegurar uma justa comparação do desempenho nos negócios do Grupo, os números do ano anterior foram ajustados para levarem em conta a nova estrutura do Grupo. Incluem, assim, o BOC, e excluem a KION, divisão de empilhadeiras vendida em 2006.

Nestas bases, as vendas do Grupo no trimestre findo em 31 de março de 2007 cresceram 9,4%, para 2,86 bilhões de euros (2,614 bilhões em 2006). O Grupo Linde também continuou a evoluir em lucros. O lucro operacional (EBITDA) no primeiro trimestre foi de 569 milhões de euros (517 milhões em 2006), o que representa um incremento de 10,1%. O EBITDA, antes de itens especiais, inclui o compartilhamento do lucro líquido de associadas e de joint ventures.

Os ganhos antes das taxas sobre as receitas (EBT) cresceram significativamente de 170 milhões de euros para 647 milhões. Dois itens não recorrentes com efeitos opostos estão inclusos nesses números. Uma amortização adicional de 107 milhões de euros resultante da alocação do preço de aquisição do BOC teve o efeito de reduzir o EBT, enquanto que um lucro em vendas de partes dos negócios, de 510 milhões de euros, teve um impacto positivo nos ganhos.

Os ganhos após as taxas, para o primeiro trimestre, ficaram em 458 milhões de euros, o que é significativamente superior aos 135 milhões de euros do ano precedente. Como conseqüência, os ganhos por ação foram de 2,76 euros (1,12 euros em 2006). Feitos os ajustes relativos aos itens não recorrentes, os ganhos por ação foram de 1,07 euros. Deve-se observar aí que o número de ações preferenciais aumentou em aproximadamente 40 milhões, para 161 milhões de ações, como resultado do aumento de capital feito em julho de 2006. Todas as divisões contribuíram para a boa performance total nos negócios do Grupo.

Divisão Gases 

Num ambiente de mercado estável, a Divisão Gases registrou aumento de 7,8% em vendas nos três primeiros meses do atual exercício financeiro, alcançando 2,249 bilhões de euros (2,153 bilhões em 2006). Sem considerar os efeitos das flutuações das taxas de câmbio, as mudanças no preço do gás natural e as mudanças nas empresas incluídas na consolidação, os negócios globais do Grupo Linde em gases cresceram 4,5%. O EBITDA aumentou 6,5%, para 556 milhões de euros (522 milhões em 2006). As tendências dos negócios foram positivas em todas as regiões e, especialmente nos mercados emergentes, a Divisão Gases conseguiu obter aumentos desproporcionais em vendas. 

Na Europa, as vendas no primeiro trimestre de 2007 aumentaram 9,2%, para 1,139 bilhão de euros (1,043 bilhão em 2006). O maior ímpeto continuou a vir do Leste da Europa. Na América do Norte, as vendas aumentaram 1,4%, para 577 milhões de euros (569 milhões em 2006). O incremento foi freado pelas flutuações das taxas de câmbio. Após os ajustes relativos aos efeitos das taxas de câmbio, as vendas na América do Norte cresceram 9,9%. Na América do Sul, os negócios cresceram 8,3%, para 118 milhões de euros (109 milhões em 2006). Excluindo os efeitos das flutuações das taxas de câmbio, isso representa um incremento de 16,3%. A Divisão de Gases na África, que foi afetada de forma adversa pelas flutuações das taxas de câmbio, alcançou vendas de 120 milhões de euros, praticamente se igualando aos 121 milhões do ano passado. Na Região Ásia/Pacífico, as vendas cresceram 1,6%, para 323 milhões de euros (318 milhões em 2006). Lá também, flutuações adversas nas taxas de câmbio impediram as vendas de crescerem a uma taxa maior. Após os ajustes relativos às flutuações das taxas de câmbio, o aumento nas vendas foi de 7,2%. 

A Divisão Gases também mostrou boa performance em cada segmento individual de produtos no primeiro trimestre de 2007. Em bases comparativas, ou seja, após os ajustes relativos à flutuação nas taxas de câmbio, às mudanças no preço do gás natural e às mudanças nas empresas incluídas na consolidação, os negócios on-site alcançaram 12,2% em crescimento de vendas. As vendas na modalidade bulk cresceram 5,1% e as vendas em cilindros aumentaram 7,3%. Nas mesmas bases comparativas, as vendas no segmento Healthcare cresceram 10,5%. Para os próximos anos, a Linde prevê um crescimento anual de mercado da ordem de 7% no segmento internacional de gases. A Divisão Gases da Linde espera crescer, no médio prazo, a uma taxa superior à média do mercado e alcançar incremento desproporcional nos ganhos.  

Divisão Engenharia

A Divisão Engenharia teve um excelente desempenho no início do novo exercício financeiro e continua no seu caminho de ganhos baseados no crescimento. As vendas do primeiro trimestre aumentaram em 42,7%, para 498 milhões de euros (349 milhões em 2006). O EBITDA cresceu, no mesmo período, 46,7%, alcançando 44 milhões de euros (30 milhões em 2006). 

A Divisão Engenharia conseguiu novamente uma significativa escalada na entrada de pedidos, o mais importante indicador da futura performance nos negócios, com um incremento de 83,0%, para 968 milhões de euros (529 milhões em 2006). Os pedidos em carteira alcançaram um novo recorde, de 4,945 bilhões de euros (4,529 bilhões em 31.12.06). Esta dinâmica performance nos negócios sustentada por um alto nível de demanda nos principais segmentos de produto: plantas de gás natural, de etileno, de hidrogênio e de separação de ar. Dado o elevado nível de pedidos em mãos e assumindo o atendimento desses pedidos no prazo certo, a Linde continua com a expectativa de significativo crescimento nas vendas e nos ganhos futuros desta Divisão.

Linde no Brasil

A Linde AG, com sede na Alemanha, é líder mundial do setor de gases industriais e medicinais com cerca de 49 mil funcionários, operações em mais de 70 países da Europa, Ásia, Oceania e Américas e faturamento de mais de 12 bilhões de euros no ano fiscal de 2006. No Brasil desde 1915, a Linde (antiga marca AGA) é a segunda maior empresa do setor.

No País, a empresa opera com três divisões: Gases Industriais (responsável pelo fornecimento de grande diversidade de gases para a indústria); Hospital Care (fornecedora dos gases medicinais para hospitais); Respiratory Care (fornecedora de gases e equipamentos para suporte respiratório domiciliar). Além das operações no Brasil, a Linde atua também nos seguintes países da América do Sul: Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Peru, Uruguai e Venezuela, além de Aruba e Curaçao.

A Divisão Gases Industriais da Linde no Brasil possui uma estrutura especializada para atender as diferentes demandas dos processos da maioria das atividades industriais: Alimentos e Bebidas, Metalurgia, Química, Soldagem e Corte e Gases Especiais. Possui cerca de 10 mil clientes atendidos por 24 unidades comerciais estrategicamente posicionadas nos principais centros consumidores do País, além de vasta rede de distribuidores autorizados.

Suas unidades comerciais estão localizadas nas seguintes cidades: Maceió/AL, Salvador/BA, Fortaleza/CE, Vitória/ES, Goiânia/GO, Contagem/MG, Juiz de Fora/MG, Timóteo/MG, Uberaba/MG, Cuiabá/MT, Belém/PA, Jaboatão dos Guararapes/PE, Curitiba/PR, Cambé/PR, Rio de Janeiro/RJ, Macaé/RJ, Canoas/RS, Blumenau/SC, Chapecó/SC, São Paulo/SP, Bauru/SP, Jundiaí/SP, São José dos Campos/SP e Sertãozinho/SP.

Mais informações para a imprensa:

Bansen & Associados Comunicação – assessoria de imprensa da Linde
Clean Barros (clean@bansen.com.br
Bia Bansenbia@bansen.com.br)
Tel.: (11) 5539-2344
www.bansen.com.br

Notícias relacionadas

Notícias relacionadas

 
BANSEN - ©2016
Bansen Phone
Address: rua dr. tirso martins, 100 cjto 304 - 04120-050 - vila mariana - SP/SP.
Site Design by Marília Schumann