Assessoria de imprensa

 

Da perda à esperança, crianças refugiadas no Brasil publicam seus primeiros livros contando suas histórias e sonhos

A paz começa com um sorriso no rosto. Quero meu país, a Síria, feliz, sem guerras, deseja Shahad, 11, vinda da Síria, apaixonada por cozinhar, fazer ginástica e ouvir música. Meu nome é Bader Munir Bader. Tenho 5 anos. Gosto do sol. Dos pássaros. E das cores bonitas, escreve Bader, 5, nascido na Arábia Saudita, que adora futebol, pular e sua cor preferida é verde-claro. O pato está fazendo o ninho dele na água, imagina André, 6, angolano, que quer ser jogador de futebol ou médico.

AlphaGraphics
AlphaGraphics - crianças refugiadas no Brasil

"A paz começa com um sorriso no rosto. Quero meu país, a Síria, feliz, sem guerras", deseja Shahad, 11, vinda da Síria, apaixonada por cozinhar, fazer ginástica e ouvir música. "Meu nome é Bader Munir Bader. Tenho 5 anos. Gosto do sol. Dos pássaros. E das cores bonitas", escreve Bader, 5, nascido na Arábia Saudita, que adora futebol, pular e sua cor preferida é verde-claro. "O pato está fazendo o ninho dele na água", imagina André, 6, angolano, que quer ser jogador de futebol ou médico. 

Além de crianças e filhos de refugiados no Brasil, Shadad, Bader e André acabam de ganhar algo comum a mais. Eles e outros 19 jovens, de 5 a 13 anos, puseram seus sonhos na ponta do lápis e a partir de agora compartilham suas histórias, desenhos e emoções na primeira coleção de livros infantis escritos por crianças refugiadas lançada no País.

AlphaGraphics
AlphaGraphics - crianças refugiadas no Brasil

O projeto é resultado da parceria da AlphaGraphics, especialista em soluções personalizadas de impressão digital sob demanda, com o Adus – Instituto de Reintegração do Refugiado – e a Estante Mágica, que atua com projetos editoriais pedagógicos voltados a crianças.   

"As crianças refugiadas têm poucas oportunidades de educação. São mais de 3,5 milhões fora da escola no mundo, sendo que a Educação deveria ser considerada uma parte essencial das operações humanitárias com refugiados", diz Rodrigo Abreu, conselheiro do Adus e CEO da AlphaGraphics Brasil. "Por meio da ação conjunta entre Adus, Estante Mágica e AlphaGraphics, pedimos para que as crianças nos contassem os seus sonhos e o resultado foi incrível, mostrando que o que falta para elas é uma simples oportunidade", completa. 

Os sonhos das jovens estrelas literárias vão longe - de princesas a astronautas. No fértil imaginário infantil, bosques, arco-íris, helicópteros, Chapeuzinho Vermelho e a paz são alguns dos personagens e referências que dão vida às histórias e ilustrações de seus primeiros livros, que a partir de agora ficarão eternizados para sempre. Acima de tudo, os pequenos sobreviventes compartilham suas histórias de resiliência e esperança. 

"Desde 2010, temos como missão no Adus atuar em parceria com refugiados e pessoas em situação análoga ao refúgio para sua reintegração à sociedade. Buscamos a valorização e inserção socioeconômica, cultural para que se reconheçam e exerçam a cidadania novamente", explica Marcelo Haydu, diretor executivo da instituição. 

Dois educadores da Estante Mágica prepararam o ambiente, conversaram com os pequenos autores, ouvindo as histórias e trajetórias de cada um. Imersos num mundo da imaginação e criatividade, cada uma das crianças se permitiu pensar nos seus maiores sonhos e então colocaram no papel todas as suas fantasias e expectativas. 

"Desde 2009, a Estante Mágica se dedica a espalhar encantamento e transformar o mundo pela educação. Mesmo diante de todas as dificuldades que enfrentaram, os pequenos autores que participaram da Oficina Adus conservaram o brilho nos olhos próprio das crianças e não perderam a capacidade de sonhar. Por meio da metodologia que desenvolvemos, conseguimos ajudá-los a dar vazão a estes sonhos", conta Pedro Concy, cofundador da startup, com sede no Rio de Janeiro. As vendas serão revertidas às famílias das crianças e a projetos do Adus que apoiam refugiados no Brasil. 

 

Crianças refugiadas

Segundo o Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), mais de 9.550 refugiados de 82 nacionalidades vivem no Brasil, principalmente da Síria, Angola, Colômbia, República Democrática do Congo e Palestina.

Do total acumulado de refugiados entre 2010 e 2015 (4.456), 599 eram crianças entre 0 e 12 anos, compondo 13,2% da população refugiada no país, de acordo com levantamentos do CONARE.

Para a legislação brasileira, a criança refugiada é aquela que foi obrigada a deixar seu país devido a um temor de perseguição por motivos de raça, religião, nacionalidade, grupo social, opiniões políticas de seus familiares, conflitos armados, violência e violação generalizada de direitos humanos. 

No mundo todo, 91% das crianças estão matriculadas na escola primária, enquanto que entre as crianças refugiadas esse índice é de apenas 61%, segundo dados da UNESCO e da ONU. Uma criança refugiada tem cinco vezes menos chance de estudar, segundo a ONU.

"As pessoas não têm coração para fazer o bem para outras pessoas", conta a síria Hebra, fã de história, geografia, artes e educação física.

 

Mais informações para a imprensa sobre a AlphaGraphics:

BANSEN & Associados Comunicação

Marcelo Fontenele (marcelo@bansen.com.br)

Clean Barros (clean@bansen.com.br)

Tel.: (11) 5539.2344

 

       

Notícias relacionadas

AlphaGraphics chega à zona leste de São Paulo, com nova unidade no Tatuapé

O parque gráfico da AlphaGraphics Tatuapé conta com equipamentos com as mais recentes tecnologias para atender demandas de impressão e marketing, comunicação visual, sinalização e decoração.

Primeiro evento voltado para autores independentes, FLIBA anuncia sua programação

Festa Literária do Baixo Augusta, organizada pelo Clube de Autores, contará com manifestações artísticas em uma galeria subterrânea que une a Rua da Consolação à Avenida Paulista, em São Paulo

FLIBA permitirá que autores independentes realizem curadoria do evento em São Paulo

As inscrições dos projetos para a Festa Literária do Baixo Augusta ficam abertas até 5 de setembro e devem ser feitas no site ou via e-mail

 

AlphaGraphics apoia o 1º Educamaker por uma educação de qualidade

A primeira edição do Educamakers ocorre no próximo sábado, 19 de agosto, no Colégio Anglo Morumbi, em São Paulo.

 

Perfeitas lembranças personalizadas, fotorevistas eternizam momentos inesquecíveis

Dia dos Pais, aniversários, confraternizações, eventos corporativos, momentos escolares, viagens, datas comemorativas...Tudo isso merece ser registrado.

 

Mercado Editorial de Livros abre novas oportunidades com Impressão Sob Demanda 1-to-1

A AlphaGraphics anuncia a meta de vender mais de 1 milhão de livros impressos sob demanda 1-to-1 em 2017, o dobro do registrado no ano passado.

 

 

 

BANSEN - ©2016
Bansen Phone
Address: rua dr. tirso martins, 100 cjto 304 - 04120-050 - vila mariana - SP/SP.
Site Design by Marília Schumann